Cor do ano

exige cautela na decoração da casa

De “personalidade forte e séria”, a cor marsala foi escolhida como a tonalidade do ano pela Pantone, empresa norte-americana conhecida pelo seu sistema de cor utilizado na indústria gráfica, e acaba influenciando desde os segmentos de moda e beleza até o de decoração.
Transitando entre o vinho, o marrom e o vermelho, a marsala é mais sóbria do que as apostas “alegres” da Pantone nos últimos anos. No ano passado, por exemplo, foi a vez de uma mistura de lilás e roxo, chamada de “orquídea radiante”.

Veja como usar a cor marsala na decoração da casa

Marsala é, originalmente, um tipo de vinho fortificado produzido nos arredores da cidade que lhe dá nome, na região da Sicília, na Itália. Para Leatrice Eiseman, diretora-executiva do Pantone Color Institute, “sua base marrom-avermelhada emana sofisticação natural.”
Por ser uma cor escura, no entanto, exige cautela na aplicação. Como tinta na parede da sala e em áreas grandes, o efeito pode ser pesado.
“O resultado pode ficar cansativo e os usuários do local enjoarem facilmente”, diz a arquiteta Paula Magnani. Ela diz preferir o tom em peças decorativas.
Para a arquiteta Erika Fukunishi, do escritório EFTM Arquitetura, cores marcantes devem ser trabalhadas de forma pontual, em detalhes.
Ela recomenda, por exemplo, em papéis de parede ou em têxteis (almofadas, tapetes e colchas), que podem ser trocados com mais facilidade caso o cliente deseje “renovar o ambiente ou atualizar com a cor do ano seguinte”.
Na parede, a dica é usar a marsala em áreas menores e de transição, como hall de elevador e lavabo.
“Para o quarto não é relaxante, e na sala de jantar e na cozinha pode aumentar o apetite das pessoas”, diz a designer de interiores Betina Barcellos do estúdio In House.
No quarto de adultos, a marsala pode transmitir “maturidade”. No de crianças, no entanto, pode deixar o ambiente sério demais. Outra opção é usá-la em “blocos” construtivos, como uma viga ou um pilar.

Casamento

Na sala de estar, a marsala funciona em vasos decorativos, próximos a outros de metal, para criar uma atmosfera moderna.
Em um tapete ou passadeira, a cor vai bem tanto com mobiliário claro quanto com escuro.
“Preto e marsala é uma combinação sem erro”, diz o arquiteto Neto Porpino.
Para ele, a cor terrosa vai bem com tons neutros e de vermelho, azul e verde.
Segundo a arquiteta Maite Maiani, o casamento entre a marsala e tonalidades de azul, do claro ao escuro, passando pelo esverdeado, marcou presença no último Salão do Móvel de Milão, que aconteceu em abril na Itália.
 Menos ousada, a composição com fendi (próximo ao bege) e cinza também é recomendada. “Em padrões listrados ou em tecidos florais, a marsala ganha um toque aveludado”, diz Luiz Whitehead, gerente de estilo da marca Clami.
Sobre materiais, Porpino sugere a utilização da cor em madeira, metal, revestimento cimentício e tijolos aparentes. “Ela conversa muito bem com paredes e balcões de tijolinhos”, diz.

Compartilhe este Artigo