Muito mais do que barba, cabelo e bigode.

Muito mais do que barba, cabelo e bigode.

Aquele conceito de barbearia antigo como ponto de encontro para os homens cuidarem somente do visual foi revisto. Hoje, muito mais modernos, os salões exclusivos para o público masculino oferecem opções diversificadas para essa clientela que vem se preocupando cada vez mais com a aparência, mas que também não abre mão do conforto. O Espaço Masculino YM é um desses. Comandado pelo cabeleireiro Yasser Mourad, 28 anos, o local passa por uma reinauguração. Localizado há dois anos em uma rua tranquila, na Chácara
Califórnia, o espaço, que já era voltado exclusivamente ao público masculino, ganhou novos ares e traz agora mais motivos para reunir homens em um só lugar.

Filho de Libanês, Yasser começou sua vida profissional longe dos salões de beleza. “Cabelo, na verdade, surgiu meio que ‘sem querer querendo’ na minha vida. Minha esposa fazia curso de cabelo e eu, com 19 anos, estava fazendo um curso de Educação Física. Eu larguei a Educação Física para entrar no curso de cabelo que me interessava muito, desde moleque”, conta. A esposa acabou desistindo do curso, mas ele continuou. Não foi simples. “Ela foi a porta de entrada e eu me encontrei dali em diante”. Neto de barbeiro, ele levou em conta também a aproximação da família com a profissão antes de mergulhar de vez na ideia. Tudo aconteceu muito rápido na vida de Yasser. Jovem, casou-se aos vinte anos, na mesma época dos estudos. Adquiriu experiência trabalhando em diversos salões no bairro onde vive desde criança.

Sempre buscando aprender na prática diária, com atenção especial a cada cliente conquistado. “Eu dei muita sorte de encontrar pessoas boas pelo caminho”, conta lembrando aqueles que foram exemplos para sua profissão, como os professores de coloração e corte do SENAC. Entre as tentativas de se destacar no mercado, chegou a arriscar um negócio na garagem de casa. “Foi de repente também. Eu precisava de um dinheiro extra e acabei montando um espaço na garagem de casa. Todos os amigos passam por lá e conhecidos acabavam sempre fazendo um ‘servicinho’ ou outro”, explica. Amigos. É assim que Yasser se refere às pessoas que passaram pela sua vida. Seus professores são amigos; seus clientes são amigos; ele cria um vínculo que dura muito mais que os minutos de serviços prestados na cadeira do salão.

Depois de alguns anos, casado, pai de duas filhas – hoje, uma com 13 anos e outra de 8 - e com muitas dificuldades pelo caminho, começou a buscar melhores oportunidades em sua área. Cogitou até mesmo desistir e procurar uma outra atuação no mercado. “Eu olhei para mim e falei: ou eu vou para alguma coisa grande ou eu largo a área”, conta. Entregou currículos no Jacques Janine e Studio W, neste último, foi chamado para trabalhar, não como cabeleireiro, mas como assistente. “Na minha concepção, era dar um passo
atrás, mas eu sempre ouvi da minha vó, da minha mãe, essa coisa de família, que às vezes a gente dá um passo atrás para conseguir dois ou três à frente”. E foi justamente
isso o que aconteceu.

Yasser entrou como assistente de cabeleireiro no Studio W do Shopping Anália Franco e dois meses depois foi promovido. Trabalhou quase dois anos como cabeleireiro em um novo espaço masculino dentro do Studio W do Shopping Anália Franco. “Dali em diante foi o ‘up’ da minha vida. Eu fiquei quase dois anos ali trabalhando direto,
consegui muito clientes, que são meus amigos até hoje”. Os amigos acompanharam o jovem cabeleireiro até ele abrir de vez o seu próprio negócio. O espaço foi cedido pela sua mãe quando ele estava praticamente de malas prontas para dar aulas de corte em Poços de Caldas, em Minas Gerais, mas a ideia de montar um negócio com aquilo que ele mais gostava
de fazer e ter um salão só seu falou mais alto e ele não pensou duas vezes. “Foram exatamente 12 dias. Duas semanas no máximo já estava pronto o salão”, explica. A intenção já era montar um espaço só para atender homens.

Atento às mudanças nesse mercado, Yasser percebeu que havia um público que era pouco explorado na região e apostou nesse nicho de mercado. “Eu sempre acreditei que tudo que é específico é mais válido”. O profissional destaca que esse tipo de negócio especializado vem crescendo nos últimos tempos e oferece serviços de qualidade para o público masculino em um ambiente intimista. “As pessoas estão preferindo, hoje, qualidade de trabalho. Não que não queiram um espaço
que tenha tudo, mas um espaço que é focado naquilo, como uma esmalteria. Um espaço masculino, um espaço só feminino, porque salões já têm há muito tempo”, completa.
Mas se trabalhar com públicos específicos é uma tendência que cresce no mercado, por que trabalhar especificamente com o público masculino? Para Yasser, a questão tem a ver com afinidade e praticidade. Afinal, seus clientes são seus amigos. “É rápido, é descontraído. A gente conversa sobre ‘n’ assuntos. Acho que a praticidade do homem em si, não só em questão do trabalho, que é um serviço um pouco mais rápido, mas eu digo em questão de lidar com o homem. É tudo muito mais simples”, explica.

Com quase dez anos de experiência, fazendo de seu hobby um negócio de sucesso, Yasser já passou por poucas e boas em sua carreira. Sempre tocando o barco sozinho, a parte burocrática do negócio - como a contabilidade, documentos e parte jurídica - foi um mal necessário que ele teve que enfrentar. O curso Tecnólogo de Logística, feito ainda enquanto tentava uma colocação no mercado, ajudou nessa parte. Hoje já não consegue mais dar conta do serviço e busca funcionários. O negócio cresceu e não parou mais. Nos dias de mais movimento, como o sábado, por exemplo, ele atende uma média de 20 clientes por dia. 

Mudanças 

Há cinco meses, Yasser resolveu investir sozinho em uma reforma geral. Mexeu do chão ao teto, escolheu cada detalhe para deixar o salão com a sua cara. O ambiente ainda não está totalmente pronto, mas a decoração é “clean”, com contraste e cores neutras. A ideia é proporcionar um espaço de descontração. A primeira parte do comércio traz uma recepção e um bar onde o cliente pode esperar mais à vontade, assistindo à TV, tomando uma bebida, ouvindo música ou comendo um salgadinho, enquanto que os serviços de cabelo e barba ficam mais ao fundo do local. Um banheiro com um pequeno vestiário também já está disponível para o “Dia do Noivo”. “O homem hoje está se cuidando mais. Se você montar esse espaço
que é para ele mesmo, como eu fiz aqui, o homem se sente muito mais à vontade para fazer qualquer tipo de coisa”, afirma o empresário que espera o retorno do investimento até o final do ano. Otimista, tem como principal motivação sua família, além de energia e entusiasmo para concretizar muitos planos de médio e longo prazo que ainda não saíram do papel. “Estão surgindo oportunidades de abrir outros espaços iguais a este próximo do bairro também”, revela. O cenário de crise também não assusta o jovem empresário. “Eu não fico pensando na crise, até porque eu sou muito otimista com as coisas. Eu acho que a crise vem e sempre depois do obstáculo ruim vem sempre coisa boa”, afirma.

A “reinauguração oficial” do espaço ainda não tem uma data definida, mas o local permanece funcionando, de portas abertas para receber os amigos. O Espaço Masculino YM funciona de terça a sábado, das 8h30 às 20h.

Por:

fotos SuelRocha
ilustrações Designed by Freepik.com

Compartilhe este Artigo