Comidas

Natalinas

Chegou a época tão festiva e comemorada no mundo todo: o Natal!
Um momento que deve ser comemorado com muita alegria, paz e, principalmente, saúde. Uma época de reflexões interiores, de celebração pelas conquistas do ano e da união de forças para as tarefas que seguem adiante, pois, durante o ano inteiro, em meios às alegrias e conquistas, quanto estresse, ansiedade, problemas e tristezas se passaram. Agora é hora de pensar em um futuro mais otimista e promissor!
Juntamente com o prazer de estar com a família e amigos, a tradição segue com as comidas que também são indispensáveis, como em qualquer comemoração. Os tradicionais pratos preparados no Natal, como as aves, carnes de vaca e de suínas, tiveram origem em países que vivem esta época natalina na estação do inverno, assim, a preferência é por alimentos com alta densidade calórica recheados de gorduras, carboidratos refinados, cremes e tudo mais.
Ocorre que no Brasil não é inverno no Natal, é verão! Calor, praia, 30º graus e Sol. Cenário em que essas preparações deveriam estar longe de serem indicadas.
Para seguir essa tradição é indicado fazer certas adaptações no modo de preparo, considerando o nosso clima, pois as receitas típicas natalinas somadas às bebidas alcoólicas com certeza trarão uma sobrecarga muito grande ao organismo, com inúmeros sintomas desagradáveis, mesmo a quem tem o hábito de consumi-las, podendo inclusive estragar toda a festa.
Neste período, não é necessário privar-se das delícias, mas consumi-las com moderação e adaptações. Por exemplo, em relação aos pratos principais, e não por um pouco de cada um, ou seja, o peru ou cheester ou lombo ou tender ou peixe. No caso dos acompanhamentos,  prefira o arroz ou farofa ou batatas ou massas. O mesmo vale para os doces, se não resistir a eles, escolha um para saborear sem culpa. Ao experimentar um “pouquinho” de cada, costuma-se dobrar ou até mesmo triplicar a porção que deveria ser consumida.
Misturar vários tipos de alimentos e condimentos em um momento só poderá lhe trazer má digestão, dores de estômago, azia, dores de cabeça, indisposição, indisposição e mal estar, prejudicando este momento tão mágico e especial!
Assim, auxiliando a preparação de uma ceia sem culpa, mas com muito sabor e saúde, indicamos trocas inteligentes, práticas e deliciosas!

O desafio desta época é resistir às tentações tradicionais e agradar ao paladar de todos que estão ao nosso lado nestes momentos, porém, com substituições simples e um tanto quanto saborosas, a ceia terá o mesmo sabor, mas com muito mais saúde!
Tradições nunca devem ser abandonadas, sentimentos devem ser cada vez mais expressos e momentos jamais devem ser esquecidos.

Ceia Tradicional:

Entradas

Salgadinhos industrializados e fritos
Tábuas de frios com queijos amarelos, copa, presunto cru e salame
Pães e torradas refinados recheados com patês à base de cremes gordurosos

Pratos Principais

Salpicão com batata à base de cremes gordurosos
Bolinho de bacalhau frito
Arroz branco com bacon
Strogonoff de carne com batata palha
Leitão assado com farofa
Nhoque à bolonhesa

Sobremesas

Manjar de coco
Panetone
Rabanada

Ceia Saudável

Entradas

Ameixa recheada
Bruschetta de cogumelos


Pratos Principais

Salada de feijão branco, salmão e limão
Risoto cítrico com pistache
Macarrão ao pesto e nozes
Bacalhau ao creme
Filé  recheado

Sobremesas

Cremoso de chocolate com licor*
Cheesecake de gelatina
Bolinhas de frutas com creme de leite
                       

De acordo com as sugestões de preparações de uma ceia light, elaboramos um cardápio completo como exemplo:

Entrada

Ameixa recheada

Prato Principal

Salada siciliana de feijão branco, salmão e limão
Risoto cítrico com pistache
Filé  recheado

Sobremesas
Cremoso de chocolate ao licor

 

 

 

 

Dra. Roseli Rossi

Dra. Roseli Rossi

Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica, Funcional e Fitoterapia. Clínica Equilíbrio Nutricional

Compartilhe este Artigo