O passar do tempo para a mulher

O passar do tempo para a


A mulher é símbolo de sensibilidade. Não importa o quanto ela evolua na sociedade, esta definição nunca mudará. As características da pele da mulher são responsáveis por esse ar de delicadeza.    
A aparência da pele pode mudar conforme o estado emocional da pessoa, assumindo firmeza e brilho capazes de serem percebidos apenas ao olhar. Situações que causam bem-estar são responsáveis por essas mudanças.
Quem nunca ouviu falar que a pele do rosto da mulher brilha mais durante a gravidez? Neste caso, a explicação é o aumento do fluxo sanguíneo e as mudanças hormonais.  
As expressões e os traços femininos são mais suaves do que os masculinos porque as camadas da pele – epiderme, derme e hipoderme – têm proporções diferentes. Há também influência de aspectos hormonais nas características da pele de cada gênero. A derme feminina é mais delgada e, por isso, a pele tende a ter o envelhecimento acelerado, em comparação à masculina.
Samar Mohamad, dermatologista da unidade Anália Franco do Hospital e Maternidade São Luiz, explica que a pele normal deve ser lisa, fina, com brilho natural, poros fechados, sem manchas e com aspecto saudável. As variações destas características ocorrem de acordo com a faixa etária, a genética, os hábitos de vida e os fotodanos solares.
Pele lisa, macia e livre de manchas, rugas e marcas de expressão é o desejo de toda mulher. Mas para tê-la é preciso manter hábitos saudáveis e realizar cuidados especiais durante toda a vida.
Com o passar dos anos, por mais que se mantenha atenção, os sinais da idade aparecem para todas as mulheres. Mas a intensidade das mudanças de uma pessoa para a outra pode ser maior ou menor devido à genética e, principalmente, à forma como a pele será cuidada. A soma desses fatores determinará o ritmo de envelhecimento.
Envelhecimento
O primeiro ciclo de envelhecimento da pele do rosto da mulher é notado a partir dos 25 anos, quando inicia-se a perda gradual de colágeno, que passa a ser intensificada a cada ano. Além disso, efeitos provocados por radiação acumulada do sol, genética e hábitos de vida originam os primeiros sinais do tempo.
As áreas do rosto mais afetadas são as rugas frontais (na testa), as rugas orbiculares (pés de galinha), sulco nasogeniano (bigode chinês) e os contornos da face, parte em que há perda associada à flacidez geral.
De acordo com a dermatologista do Hospital e Maternidade São Luiz, o envelhecimento cutâneo pode ser intrínseco (ou cronológico) ou extrínseco. O primeiro modo é causado por alterações genéticas e metabólicas, levando à perda crescente de colágeno e degeneração tecidual, ou seja, ocorre devido à passagem natural do tempo.
O segundo está ligado à interação da pele com o meio ambiente, sendo afetado pelos hábitos de vida de cada pessoa. A exposição aos raios solares sem fotoproteção é o principal exemplo de causa de envelhecimento extrínseco. Mas o contato da pele com a poluição do ar e hábitos errados de vida também causam danos.
“O Sol é um dos grandes responsáveis por danificar a pele e acelerar o envelhecimento”, explica a dermatologista Fabiana Pietro, proprietária de uma clínica no Jardim Anália Franco que leva o seu nome. Ela reforça a necessidade do uso de filtro solar para manter a saúde da cútis e ainda aponta o cigarro, álcool e estresse como “fatores que também participam ativamente da degradação da pele”.

Prevenção   
Para retardar o surgimento de rugas e flacidez, é recomendado o uso do protetor solar diariamente, com fator de proteção superior a 30 e de cremes específicos anti-idade, de acordo com a faixa etária. Contudo, é extremamente importante o cuidado com o corpo como um todo, ingerindo alimentação adequada e dois litros de água por dia, evitando o consumo de cigarro e bebida alcóolica e mantendo sempre hábitos de vida saudáveis, como sono regular, realização de atividades físicas e combate ao estresse.
O uso de cosméticos e tratamentos estéticos para a prevenção dos sinais de envelhecimento é indicado por dermatologistas. A pessoa interessada em utiliza-los deve consultar um especialista e fazer uma análise cuidadosa da cútis e obter as opções adequadas a seu tipo de pele.
Samar Mohamad, do Hospital e Maternidade São Luiz, alerta que é preciso ter cuidado para o uso adequado dos dermocosméticos: “Produtos mais pesados em uma pele jovem ou leves em uma pele madura, além de não surtirem o efeito desejável, podem ser prejudiciais. Cada faixa etária tem as suas particularidades e exige uma cosmética diferente.”
Fabiana Pietro diz que o cosmético mais importante é certamente o filtro solar, que deve ser aplicado diariamente pela manhã e reaplicado várias vezes durante o dia. Ela conta que hoje a medicina e a dermatologia oferecem alta tecnologia em aparelhos, lasers e procedimentos eficazes para o combate ao envelhecimento da pele. “Há diversos procedimentos médicos, como o botox, os preenchimentos e os lasers, que, quando bem indicados, rejuvenescem e embelezam de forma muito natural”, diz.
Quanto mais cedo a mulher iniciar os cuidados com a pele, mais jovem e saudável a pele será. “Quando estes tratamento são iniciados precocemente, é possível manter a quantidade de colágeno estável, retardando a evolução do processo de envelhecimento, explica Fabiana.
Para a dermatologista, os tratamentos são a única forma de induzir efetivamente a produção de colágeno e, por isso, devem ser indicados por um profissional de acordo com o tipo e a estrutura de cada pele. “Eles são fundamentais no processo de rejuvenescimento do indivíduo e não há cosméticos que os substituam, pois somente eles agem na causa do processo de perda do colágeno. Ao contrário dos cremes, que ficam restritos à superfície da pele”, afirma a profissional.
As indesejáveis manchas também desagradam as mulheres e normalmente são prevenidas com o uso do filtro solar. Comumente, fatores genéticos também provocam o aparecimento delas. Há tratamentos bastante eficazes para esse problema, como os peelings e aplicações de lasers. O dermatologista é o profissional que pode auxiliar a escolha mais adequada para cada tipo de mancha.

 

Samar Mohamad, do Hospital e Maternidade São Luiz, afirma que é possível manter a pele saudável seguindo três etapas de tratamento: limpeza, hidratação e fotoproteção. “Os cuidados específicos são importantes para atender as características e necessidades de cada faixa etária.” A dermatologista comenta as características de cada faixa etária e chama a atenção para os cuidados específicos:

Aos 20 anos Como é?

  • Normalmente, as mulheres apresentam uma pele mista ou oleosa, com tendência à acne. Isso ocorre devido às alterações hormonais constantes nessa idade, diretamente relacionadas à hipersecreção das glândulas sebáceas.
  • Como cuidar?
  • Para a higienização devem ser usados sabonetes antioleosidade, duas vezes ao dia. Para a hidratação são recomendados produtos oil free, que podem conter ação matificante ou função de redução do tamanho dos poros.
  • Por mais que a pele seja firme, já pode ser iniciada a prevenção do envelhecimento. A vitamina C tópica neutraliza os radicais livres – grupos orgânicos que se ligam a outras espécies do nosso corpo, acelerando o aspecto envelhecido –, além de estimular a produção de colágeno e favorecer o clareamento da pele.
  • O filtro solar é indispensável, mas é preferível o uso de produtos que conferem toque seco. Uma boa opção são os fotoprotetores com cor de base.

Aos 30 anos Como é?

  • É possível observar os primeiros sinais de envelhecimento. Os mais comuns são: alteração do nível de hidratação; início da perda de colágeno e da elastina; aparecimento das primeiras rugas ao redor dos olhos e manchas.
  • Como cuidar?
  • Para a higienização da pele, na maioria dos casos, ainda são usados sabonetes que agem na redução da oleosidade. A hidratação deve se estender até a região do pescoço e colo, dando preferência a dermocosméticos livres de óleo e associados a substâncias antioxidantes, além de fotoproteção solar adequada.
  • Nessa faixa etária, pode-se apostar em produtos que renovem as células, estimulem a produção de colágeno e sejam despigmentantes. Para estas soluções, os retinóides, seus derivados e outros ativos regeneradores são ótimas alternativas. São indicados também dermocosméticos específicos para a área dos olhos, que auxiliam na renovação celular, pigmentação e flacidez inicial.

Aos 40 anos Como é?

  • A pele tende a ficar mais seca e sensível, com perda progressiva da elasticidade e aparecimento de rugas mais profundas.
  • Como cuidar?
  • A higienização passa a ser feita com itens mais suaves, com a função de manter a hidratação da cútis. Os produtos hidratantes, antioxidantes e os ácidos devem ser usados com o objetivo de promover a restauração e a nutrição da pele, sendo possível também associar substâncias regeneradoras mais potentes, com ação antirrugas e agentes firmadores.
  • Nessa fase, podem ser introduzidos os nutracêuticos, com ação antioxidante, bem como a toxina botulínica, os preenchedores, bioestimuladores e lasers.

A partir dos 50 anos Como é?

  • A pele madura torna-se mais fina e sensível, havendo diminuição da renovação celular e da secreção sebácea. As flutuações hormonais da menopausa são acompanhadas de desidratação da pele, hiperpigmentação, sensibilidades e redução da elasticidade.
  • Como cuidar?
  • Na higienização, opta-se por loções que proporcionam limpeza profunda, mantendo a umidade natural da tez. Os hidratantes devem ser em creme ou loção cremosa, de preferência associados a substâncias que tratem as principais necessidades, como agentes tensores, antioxidantes e clareadores. Os filtros solares precisam ter ação de barreira, preservando a nutrição da cútis.
  • Procedimentos complementares como lasers, peelings, toxina botulínica, preenchimento e lifting podem ser recomendados com a finalidade de amenizar os sinais do tempo na pele.

 

 

 

 

por Amanda Santana
Foto: canstockphoto

Compartilhe este Artigo