2016: é tempo de esperar e realizar

O que esperar desse ano que se inicia

Todo ano novo começa cheio de expectativas. Como se uma nova chance de ser feliz nos fosse dada a cada mudança de calendário. O desejo de que sonhos antigos sejam reali­zados mais uma vez é alimentado. Afinal, é ano novo, então, por que não realiza-los agora? E se novos sonhos surgirem, espe­ra-se que também sejam contemplados em 2016.

Enfim, é momento de pensamentos otimistas, planos e mais planos e de muita esperança. A esperança é o ingrediente que move a todos ao longo dos anos e permite enfrentar com mais força os obstáculos que a vida reserva.

O ano de 2015 foi um período difícil para os brasileiros e até os mais otimistas se desanimaram em alguns momentos diante de si­tuações como crise, desemprego, aumento de despesas, etc. Não foi raro ouvir das pessoas que o ano deveria terminar logo, para que a esperança voltasse aos corações.

Deixar o que passou para trás o que ficou para trás é uma atitude de pessoas que têm a esperança como impulsor de vida. Mesmo para aqueles que ainda sofrem com as dificuldades do ano passado, voltar a pensar de forma positiva é o primeiro passo para que a mudança aconteça e um ano me­lhor seja iniciado.

Replanejar a própria vida e se readaptar dentro do possível e do que está ao seu alcance trará conforto e a força necessária para fazer de 2016 um ano diferente, e, sem dúvida, melhor. E para começar esse processo de melhorias, pare e pense o que é prioridade para você e em que pretende depositar sua esperança: saúde, família, finanças, sonhos pessoais, etc.

Receba 2016 de braços abertos e com a esperança de que este será um ano de novidades e realizações. Prepare-se para viver intensamente cada momento bom e aprender as lições que este novo tempo reserva para você.

Etimologia

Originada da palavra latina “sperantia”, provinda do verbo “sperare”, de forma resumida, a palavra esperança significa: ato de esperar o que se deseja, expectativa, espera, fé, confiança em conseguir o que se deseja e aquilo que se espera ou deseja.

Inspiração

A esperança é algo bastante presente em di­versas religiões, sempre associada à fé. O pensa­mento de que quem tem fé, tem esperança é o que move seguidores de todas as crenças. O estímulo à esperança é uma prática comum nas igrejas, que demonstram, por meio de exemplos de vida, que não se deve desistir de acreditar mesmo diante de dificuldades.

Abastecer a própria esperança é algo indispen­sável para que ela se fortaleça e continue presente em sua vida. Corra atrás do que lhe faz bem. Se a fé em alguma religião puder lhe ajudar, vá em frente. Inspire-se!

Diversos livros de cunho religioso já foram lan­çados tendo a fé como tema central e algum deles pode ser proveitoso para você. Um famoso título americano foi traduzido para o português como “A grande esperança: viva com a certeza de que tudo vai terminar bem”. O livro, originalmente “From here to forever”, foi escrito por Ellen G. White, cristã americana autora de diversas obras que in­fluenciaram no surgimento da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

O pastor peruano Alejandro Bullón, formado em teologia, é o autor de “A única esperança: en­contre o real sentido da vida”, que expõe casos de pessoas que em meio a situações difíceis encontra­ram a esperança.

O padre Fernando Santa Maria abordou o as­sunto em uma tese acadêmica, que teve como base o documento da Igreja Gaudium et Spes (Ale­gria e Esperança), depois publicada como o livro “A esperança que transforma o mundo”.

Além do senso comum

O conceito de esperança já foi estudado com pro­fundidade por acadêmicos como Paulo Freire, peda­gogo e autor de diversas obras na área de educação. No livro Pedagogia da Autonomia (1996), o pedagogo apresenta conclusões importantes e demonstra sua convicção sobre a necessidade de esperança para a existência humana: “A esperança faz parte da natureza humana. Seria uma contradição se, inacabado e cons­ciente do inacabamento, primeiro, o ser humano não se inscrevesse ou não se achasse predisposto a partici­par de um movimento constante de busca e, segundo, se buscasse sem esperança.”

Em outra obra, o autor se debruça mais sobre o as­sunto. Pedagogia da Esperança é dedicado ao assunto e logo no início traz reflexões sobre como a esperança sozinha não é capaz de transformar a realidade, mas sim de possibilitar o enfrentamento do embate. “Mi­nha esperança é necessária, mas não suficiente. Ela, só, não ganha a luta, mas sem ela a luta fraqueja e titubeia. Precisamos da esperança crítica, como o peixe necessi­ta de água despoluída.”

Paulo Freire ainda afirma que “sem o amor não exis­te esperança”, pois este sentimento é o que a move. Afinal, quando temos o amor como motivação qual­quer obstáculo é vencido, em um relacionamento, na profissão e em diversas esferas da vida.

Exemplo de esperança

Manter a esperança muitas vezes é um desafio. Mas para algumas pessoas a esperança faz toda a diferença. Não é raro encontrar exemplos de superação que foram possíveis graças à esperança daquele que vivenciou de­terminada situação. Em alguns casos, a esperança pas­sou a ser a grande marca da trajetória de vida.

Para Alcione Edione, 33 anos, cartorária, a espe­rança sempre esteve presente. O sonho de entrar na faculdade para cursar publicidade e propaganda existia desde os tempos do colegial, mas sem ter condições financeiras para estudar, ela teve que esperar um longo tempo para realiza-lo. “Durante quatro anos fiz proces­sos seletivos até conseguir uma bolsa de estudos na área que eu queria. Talvez se eu tivesse desistido no meio do caminho eu não teria alcançado aquilo que eu desejava.”

Outro sonho antigo de Alcione, cultivado desde a in­fância, também foi realizado por ela: a compra da casa própria. Em 2008, ela fez inscrição na Caixa Econômica Federal para comprar um apartamento e foi contemplada em 2009. Hoje ela mora na Cidade Tiradentes com a mãe. “Mais uma prova de que se a gente espera e confia naquilo que acredita a gente consegue. Só não consegue quem desiste.”

Assim como em outros momentos da vida de Alcio­ne a esperança continua se fazendo presente. O objeti­vo agora é voltado à vida profissional. Apesar de estar formada há dois anos, ela continua trabalhando como cartorária, ofício que desempenha há 14 anos e que permitiu todas as conquistas dela até o momento. No ano passado, ela deu o primeiro passo rumo ao seu ob­jetivo. Mudou para um emprego com carga horária me­nor para ter mais tempo para se dedicar aos estudos.

Hoje, ela cursa técnico em marketing. Mais uma for­mação que está preparando ela para trabalhar na área dos sonhos dela. “Espero que em 2016 eu conquiste uma posição melhor na vida profissional. O mais importante é carreira por enquanto. Mas é claro que saúde e coisas boas a gente sempre espera.”

Amanda Santana

Compartilhe este Artigo