Como montar um aquário

Seja bem-vindo ao fascinante mundo da aquariofilia

A grande variedade de plantas e peixes exóticos coloridos permitir­-lhe-á ter em casa um pedaço da natureza. Observar um aquário é agradável e relaxante. Faz bem ao stress!

Ter um aquário em casa, não é difícil. Precisamos apenas ter uma boa dose de dedicação. Peixes são animais que sentem qualquer mu­dança no seu habitat. Num aquário temos que controlar vários fatores que irá aprender aos poucos.

Antes de começar a montar o seu aquário, procure lojas que comer­cializem aquários e peixes. Fale com eles, coloque as suas dúvidas, bons vendedores saberão esclarecer as suas dúvidas e dar-lhe bons conse­lhos sem lhe impingirem nada.

Pense bem antes de começar se quer montar um aquário comunitá­rio ou criar espécies específicas, isso é fundamental para pensar como vai montar o aquário, saber o pH, as plantas e outros fatores.

ONDE COLOCAR O AQUÁRIO?

O primeiro passo é decidir onde irá ficar o aquário.

Algumas regras básicas para esco­lher o melhor sítio:

Prefira locais sem luz solar direta;

Com tomadas próximas;

Longe da tentação de animais e crian­ças (a não ser que o aquário seja para as próprias crianças);

Mesa / móvel (base estável e segura), pense no peso total do seu aquário depois de montado;

Visível de vários pontos, como da sua poltrona favorita;

Sem obstáculos que dificultem as operações de manutenção e limpeza.

BOMBA DE AR

Auxilia a oxigenação da água, já que só a presença de plantas não é suficiente. Use uma bomba de ar com pedra porosa (à venda em lojas) que vai auxiliar também na movimenta­ção da água, impedindo o acumulo de subs­tâncias em determinados lugares. Sem oxigê­nio os peixes morrem.

AQUECEDOR OU TERMÓSTATO

Mantém a temperatura da água constante, pois variações bruscas na temperatura afetam diretamente a saúde de peixes e plantas. Além do aquecedor (os melhores vem com termos­tato) tenha sempre um termometro fixo no aquário. A temperatura deve ser adequada às espécies que povoam o aquário.

MEDIDAS E CAPACIDADES DO AQUÁRIO

Regra geral, quanto maior o aquário, maior será a sua estabilidade química. Pode ser de qualquer formato, os mais indicados são os de vidro com vedante em silicone. Mais fácil será de cuidar dos peixes e da água.

Lembre-se que um aquário pesa, é preciso escolher bem o sítio onde vai colocá-lo. No caso de um aquário de 60 centímetros, pode testar a resistência da mesa ou móvel com o seu peso.

Medidas padrão: comprimento X largura X altura = capacidade

50 X 25 X 30 centímetros = 38 litros | 60 X 30 X 30 centímetros = 54 litros

80 X 30 X 40 centímetros = 96 litros | 100 X 30 X 40 centímetros = 120 litros

100 X 40 X 50 centímetros = 200 litros | 120 X 40 X 60 centímetros = 288 litros

150 X 50 X 60 centímetros = 450 litros

Os três primeiros são os mais recomendados para quem se está a iniciar na aquario­filia.

ILUMINAÇÃO

A iluminação mais usada é a fluorescente, existindo lâmpa­das especiais para aquários.

PEDRAS / AREÃO

O areão próprio para aquários existe à venda nas lojas de animais, de vários tamanhos e cores. Antes de colocar no aquá­rio deve ser lavado abundantemente, para retirar terra e areia. Para um aquário de 60 centímetros podem ser precisos cerca de 10 quilos de areão, dependendo do tamanho da pedra.

OS PEIXES

Os peixes são animais perfeitamente equipados para a vida aquática. Estão protegidos por um reves­timento de escamas rígidas, muitas vezes cobertas de um líquido escorregadio, denominado muco, que os ajuda a deslizar na água.

Possuem um corpo hidrodinâmico e adquirem a temperatura do meio onde vivem. Não possuem san­gue quente, como os mamíferos e as aves, por isso o seu mecanismo biológico está condicionado à tem­peratura ambiente.

A maioria possui bexiga natatória semelhante a um balão, que os ajuda a flutuar. Na maioria destes animais, a difusão do oxigénio dissolvido na água fa­z-se através das guelras.

Servem-se da barbatana caudal para se desloca­rem, auxiliada pelas barbatanas peitorais, igualmen­te utilizadas para a direção. As barbatanas ventrais ou pélvicas atuam como um leme de direção.

Os peixes são o grupo de vertebrados mais bem sucedidos. Vivem praticamente em todos os lugares onde há água.

Os peixes geralmente dividem-se em dois gran­des grupos:

Os peixes ósseos (por exemplo sardinhas, atuns, bacalhaus e outros peixes com esque­leto ósseo);

Os peixes cartilagíneos (por exemplo tuba­rões e raias).

ESPERANÇA DE VIDA

Os peixes não vivem muito tempo. Peixes de di­mensões mais pequenas vivem menos tempo que os de dimensões maiores. Isto explica-se: as espécies mais pequenas gastam o mesmo número de bati­mentos cardíacos com mais rapidez do que as espé­cies maiores, que realizam os mesmos batimentos mas de uma forma mais lenta.

Por exemplo: os vivíparos, mais pequenos, vulga­res, como é o caso dos gouramis (onde se incluem os famosos bettas), vivem entre dois a quatro anos. Os peixes gato, coridoras e alguns ciclídeos vivem entre oito a doze anos.

Os peixinhos dourados, comuns hoje em dia, po­dem atingir os dez anos de vida. As carpas, quando bem tratadas, podem atingir os vinte anos.

ALIMENTAÇÃO DOS PEIXES

Os peixes são alimentados com comida indus­trializada, que pode ser comprada em qualquer boa loja de animais.

Devemos apenas dar para cada espécie o seu tipo de comida especifico. Nunca devemos esque­cer que “os peixes morrem pela boca”, tem que ser alimentados apenas o necessário, nunca de mais nem de menos.

A ÁGUA E OS SEUS PARÂMETROS

Pode ser a de torneira quando o encanamen­to for de PVC. Deve descansar por três dias para evaporar o cloro, depois de colocada no aquário o oxigenador deve permanecer por 15 a 20 dias sem nenhum peixe.

Durante este tempo mantenha o aquário sem­pre coberto. Existem à venda produtos anti-cloro, com os quais a água fica logo pronta.

PH

As variações de pH podem prejudicar os peixes e as plantas, portanto deve ser medido com regula­ridade e deve-se situar em torno dos 6,0 e 7,6.

PLANTAS

A colocação de plantas é muito importante, pois elas ajudam na oxigenação do aquário e na alimen­tação dos peixes. As plantas também são decora­tivas.

Tem de se conhecer bem as espécies que po­voam o aquário, alguns peixes comem as plantas todas. Existem à venda plantas artificiais.

COMO MONTAR UM AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE QUENTE

Escolha o local onde deve ficar seu aquário, não deve incidir luz solar direta, apenas uma iluminação natural, deve ter tomadas próximas, prefira um local longe do al­cance de animais e crianças. Nunca tente deslocar o aquá­rio se ele estiver cheio;

Sob o aquário coloque uma placa de esferovite, que irá impedir o contacto do aquário direto com o móvel, evi­tando variações de temperatura, impedindo que o móvel fique marcado e evitando também vibrações no aquário;

Despeje o areão lavado no fundo do aquário espalhan­do bem, evite acumulação de cascalho em determinados locais. Tente fazer uma pequena inclinação do fundo para a frente, para evitar que fiquem lá atrás restos de comida e cocós;

Encha o aquário com a água sem cloro através da tor­re, encha até metade;

Coloque as plantas, enterrando-as bem para não solta­rem e se quiser, coloque também algum objeto de decora­ção (troncos, pedras);

Complete a água do aquário;

Instale o aquecedor e ligue o oxigenador, tampe o aquário, ligue a iluminação;

Deixe o aquário funcionando por aproximadamente uma semana, faça o teste do pH e só então acrescente peixes. Não todos de uma vez, dê um intervalo de uma semana e só então coloque mais peixes. Lembre-se que o seu aquário comporta apenas uma certa quantidade de peixes, conforme o tamanho, portanto não ultrapasse a sua capacidade.

COMO COMPRAR OS PEIXES COR­RETAMENTE

Compre os peixes em lojas especia­lizadas, onde os aquários estejam lim­pos e sem peixes mortos;

Observe bem os peixes e escolha o que estiver a nadar sem nenhum pro­blema. Não compre peixes que estive­rem parados, escondidos, respirando na superfície, a não ser que sejam ca­racterísticas próprias da espécie;

Verifique se o aquário tem aqueci­mento, colocando a mão no vidro;

Preste atenção nos olhos do peixe, eles não devem apresentar manchas, estarem opacos ou inchados;

Evite peixes que aparentam estar com dificuldade para se locomover;

O saco que servirá para transportar os peixes da loja para o seu aquário deve conter ar e não trazer muitos pei­xes. Proteja o saco do frio e do calor excessivo;

Antes de colocar os peixes no aquário, corrija o pH e verifique a tem­peratura. Não despeje diretamente os peixes no aquário, primeiro mergulhe o saquinho até que as temperaturas se aproximem e então deixe que os peixes saiam devagar, ao seu próprio ritmo.

INTOXICAÇÃO ALIMENTAR

O peixe fica com o ventre estufado e escamas eriçadas. Ocorre quando há um excesso de comida, que se deteriora no fundo do aquário. Limpe o aquá­rio e suspenda a alimentação por um dia.

NADADEIRAS APODRECIDAS

Ocorre principalmente por ação de bactérias que se desenvolvem em pH ácido e temperatura baixa.

As nadadeiras desmancham-se e ficam esbran­quiçadas. Antes de qualquer tratamento, corrija a temperatura e o pH. Num aquário-hospital, use o produto específico à venda nas lojas.

PRINCIPAIS DOENÇAS QUE PODEM AFETAR OS PEIXES

ÍCTIO

É uma das doenças mais comuns nos pei­xes de aquário.

O corpo do peixe fica cheio de bolinhas brancas semelhantes a algodão, o peixe se locomove pouco e tenta arrancar as bolas esfregando-se nas pedras do aquário.

Separe o peixe, pois a doença é conta­giosa. Num aquário-hospital (um aquário à parte especialmente para tratar de proble­mas de saúde nos peixes) faça o tratamento com remédio específico à venda em lojas de animais.

Para evitar o aparecimento da doença, mantenha a temperatura do seu aquário em torno dos 28°C.

Este artigo foi originalmente publicado no antigo Fórum Mundo dos Animais, em Outubro de 2007, com o título “Montar um aquário – Nível Básico – Iniciantes”.

Tópicos: Aquariofilia e Peixes Ornamentais, Peixes, Animais de Estimação, Artigos em Destaque

por Susana Alcobia
Fonte original: Wikimedia Commons

Compartilhe este Artigo